DOWNLOAD

 

DIRETRIZES PARA PROJETO E TRABALHO CIENTÍFICOS

Autor: Marcimedes Martins da Silva

  RESUMO

  INTRODUÇÃO

  Pré-passos: Definição de projeto, monografia, dissertação e tese

  Primeiro passo: Definição do problema(ou delimitação do tema)

  Segundo passo: Pressupostos teóricos/Levantamento bibliográfico/Introdução

Terceiro passo: Objetivo e hipóteses

Quarto passo: Método ou Método e material

Quinto passo: Procedimentos da análise dos dados

Sexto passo: Conclusão

Sétimo passo: Referências bibliográficas

Oitavo passo: Anexos

Nono passo: Introdução do Trabalho Científico

Décimo passo: Resumo do Trabalho Científico

Décimo primeiro passo: Cronograma do Projeto Científico

Décimo segundo passo: Orçamento

Décimo terceiro passo: Apresentação

Décimo quarto passo: Sumário

CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

RESUMO

Passo a passo, a elaboração do Projeto e do Trabalho científicos é apresentada de maneira que o estudante dê os seus primeiros passos na área de pesquisa.

Os exemplos apresentados são da área específica da Psicologia, especialidade do autor, mas os passos procuram atender às exigências comuns a todas áreas científicas.

O universo de pesquisa é enfatizado como um campo fértil à espera da semente que cada universitário é capaz de plantar.

Unitermos: Projeto Científico, Trabalho Científico, monografia.

Volta ao início da página

INTRODUÇÃO

O estudo didático-científico é diversificado na Universidade e, assim, alguns aspectos devem ser privilegiados em cada ocasião, buscando atender às necessidades emergenciais de uma dada comunidade científica, naquele momento.

A proposta da apresentação dessas diretrizes é justamente a carência dos universitários de textos que os auxiliem a elaborar monografias, dissertações e teses, porém, mais especificamente, a carência por textos que os orientem quanto aos passos a serem dados na elaboração de projetos científicos.

Não existe uma norma ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas específica para monografia. Em geral, usa-se a NBR-Norma Brasileira Registrada 10719:1989 – Apresentação de relatórios técnico-científicos, que fixa as condições exigíveis para possibilitar aos editores a aplicação de regras padronizadas para a apresentação de publicações oficiais brasileiras.

Para atender a fins didáticos, serão utilizadas letras maiúsculas apontando a diferença fundamental entre Projeto Científico - que é todo o plano de elaboração e de execução de pesquisa - e Trabalho Científico - que é a monografia, dissertação ou tese já concluídas.

Textos explicando o Trabalho Científico objetivam também ensinar como é a fase de Projeto Científico. No entanto, aquele que se inicia na área de pesquisa parece sempre se perguntar qual é o caminho que deve seguir após a leitura de tais textos. Assim, foi aceito o desafio de traçar, passo a passo, o caminho para elaboração do Projeto Científico enquadrando-o dentro do contexto maior do Trabalho Científico.

Volta ao início da página

 

Pré-passos : Definição de projeto, monografia, dissertação e tese

O pesquisador deve saber que alguns capítulos desenvolvidos durante a fase do Projeto Científico serão úteis ou até mesmo poderão ser reproduzidos integralmente no Trabalho Científico quer seja este monografia, dissertação ou tese. Observe como o Projeto Científico constitui a base do Trabalho Científico, devendo, portanto, receber especial atenção quanto à viabilidade com que será executado, através do Quadro abaixo no qual os capítulos estão ordenados na seqüência em que podem ser apresentados:

Quadro I
 

PROJETO CIENTÍFICO

TRABALHO CIENTÍFICO(monografia, dissertação ou tese)

 

Agradecimentos/Dedicatória

 Resumo

Resumo

Sumário

Sumário

 I - Introdução/Pressupostos teóricos

I- Introdução/Pressupostos teóricos

II - Definição do problema

II- Definição do problema

III - Objetivos 

III- Objetivos

IV - Hipóteses

IV- Hipóteses

 V - Procedimentos da pesquisa 

Método ou Método e Material

V- Procedimentos da pesquisa 

Método ou Método e Material

 VI - Procedimentos da análise 

VI- Análise dos dados ou Resultados 

VII - Referências bibliográficas

VII- Conclusão 

VII – Anexos

VIII- Referências bibliográficas 

 IX - Cronograma 

X - Orçamento

 IX - Anexos

 

Deve ser enfatizado, no entanto, que a elaboração do Projeto e do Trabalho científicos deve obedecer outra ordem, a qual será apresentada em seqüência de passos a serem seguidos. Antes, porém, é preciso deixar claro que tanto a dissertação quanto a tese são modalidades de monografias científicas que obedecem as mesmas regras formais, mas se diferenciam quanto à finalidade. Assim, ambas, enquanto monografias, são estudos de um tema específico e bem delimitado a fim de que este possa ser tratado sistematicamente em profundidade, por escrito. A diferença é que a dissertação é um estudo científico recapitulativo com a finalidade de reunir, analisar e interpretar as informações coletadas a respeito do tema escolhido. Não tem por finalidade convencer, mas sistematizar os argumentos, as razões, os fatos, as idéias e as opiniões para que sejam conhecidos todos os aspectos coincidentes e divergentes de assuntos pouco explorados ou discutíveis e que podem até consubstanciar um conceito ou uma teoria.(Severino, 1996). O leitor tem liberdade de formar sua própria opinião.

A tese é um estudo científico original com a finalidade de pesquisar histórica, filosófica e/ou experimentalmente um tema para convencer, através de raciocínio indutivo ou dedutivo, que se trata de uma contribuição inédita ou de uma nova consideração a respeito de um assunto já conhecido.

Os passos devem ser seguidos tendo em vista a elaboração do Projeto Científico e do Trabalho Científico, distinguindo-se alguns passos como sendo específicos de um ou de outro e, ainda, deve-se ter cuidado com o tempo verbal(futuro, passado ou presente histórico) nas respectivas redações.

Volta ao início da página

 

Primeiro passo - Definição do problema (ou delimitação do tema)

A escolha do tema deve obedecer a alguns critérios:

1) O tema deve ter relação com a área em que será desenvolvido.

Por exemplo, ao escrever a respeito da criança de rua : para atender as Teorias da Personalidade pode-se considerar o Complexo de Édipo destes menores; para atender a Psicopatologia, é possível se ocupar de agressões sexuais sofridas por estas crianças e, para atender a Psicologia Escolar, é possível direcionar a pesquisa para aspectos psicossociais e educacionais.

2) As fontes bibliográficas devem ser acessíveis.

Exemplo: não adianta pesquisar um assunto cujos livros estejam todos escritos em outro idioma quando o autor só lê em Língua Portuguesa.(ECO, 1983).

3) Não há barreira para analisar o fenômeno ou fato social.

Exemplo: algumas instituições não aceitam que as pesquisas sejam somente bibliográficas (teóricas) ou resultantes de análises documentais (recortes de jornais, registros policiais, entre outros), ou seja, se o assunto é estupro, é preciso entrevistar um estuprador ou uma mulher estuprada.

4) O tema deve ser restrito de forma que se possa trabalhar com melhor e mais segurança.

Exemplo: incontáveis Trabalhos Científicos são escritos todos os anos a respeito de prostituição, mas este número cai quando se trata de prostituição infantil, diminui mais quando se fala em prostituição até 12 anos e se restringe mais ainda quando se delimita o tema a problemas de identidade de prostitutas menores de 12 anos.

5) O tema deve ser cientificamente útil, atendendo interesses que vão além dos próprios, e servindo até para outras comunidades.

Exemplo: ainda que o trabalho tenha se ocupado dos estudantes do segundo ano de uma escola de Marília, seus resultados podem ser comparados com pesquisas desenvolvidas em outras localidades.

6) O tema deve ser justificado (o porquê interessa à Ciência), cabendo até situá-lo historicamente.

Exemplo: o emprego da violência contra menores de rua aumentou nos últimos dez anos justificando um estudo que vise descobrir as causas e as soluções deste fato social.

Volta ao início da página

Segundo passo - Pressupostos teóricos/Levantamento bibliográfico/Introdução

O levantamento bibliográfico deve ser iniciado quando o pesquisador já definiu um tema específico, pois isto facilitará muito esta parte da pesquisa e, para ganhar tempo no futuro, é aconselhável também que já se preocupe com as normas que devem ser obedecidas no sexto passo - Referências bibliográficas. Por exemplo, os textos que argumentam a respeito de crianças de rua podem não ser os mesmos que estudam infratores ou menores institucionalizados e como podem estar inseridos em capítulos de livros ou serem artigos de jornais ou revistas, o conhecimento de como constarão nas Referências bibliográficas fará com que o pesquisador registre citações no texto com precisão.

Muitas vezes, o pesquisador delimita bem o seu tema e, quando inicia a pesquisa, não encontra livros específicos. Continuando o exemplo dado no início deste segundo passo, a decisão final foi a de pesquisar o comportamento do delinqüente de 10 a 14 anos das ruas de Marília sob a abordagem psicanalítica. O levantamento bibliográfico, neste caso, deve ser direcionado para obras psicanalíticas a respeito das fases de desenvolvimento - puberdade e adolescência e, ao mesmo tempo, direcionada para estudos a respeito da violência. O objetivo é identificar todos os estudos desenvolvidos por outros autores a respeito do mesmo tema para que o pesquisador conheça as conclusões anteriores e evite repetições desnecessárias.

Não perca tempo. Procure:

a) os trabalhos de revisão bibliográfica (review paper);

b) as publicações de resumos (abstracts);

c) os últimos lançamentos - os mais atualizados - a respeito do tema;

d) as listas de dissertações e teses junto ao bibliotecário;

e) hemerotecas: seção das bibliotecas em que se colecionam os jornais e as revistas.

f) a bibliotecária: ela informará a respeito dos serviços como, por exemplo, o empréstimo entre bibliotecas e a comutação bibliográfica que possibilitam localizar e obter por empréstimo livros e, até mesmo, conseguir cópias de artigos de revistas em âmbito nacional e internacional.

É óbvio que nem todas as referências bibliográficas levantadas e relacionadas na fase do Projeto Científico terão que ser lidas. O importante é saber que há um autor ou alguns autores que devem ser obrigatoriamente citados quando se trata de um determinado assunto. Por exemplo, é inadmissível que se estude o Complexo de Édipo sob enfoque psicanalítico sem se reportar a Freud ou abordar psicossocialmente o suicídio sem comentar parte do estudo de Durkheim.

O pesquisador descobre que autor ou autores se destacaram na área estudada, fazendo um levantamento como no exemplo abaixo, iniciado pela publicação mais recente e organizado de forma a desmembrar co-autores para ordená-los alfabeticamente:

Quadro II

 

Autor

Título da obra

Autores ou obras citadas

FILHO, J.Moreti

Redação de dissertações

ABNT, Emberger, Hall, Mac Lean, Morris, Salvador, Thompson e UNESCO

SEVERINO, A. Joaquim

Metodologia do Trabalho Científico

Acosta, ABNT, Asti, Belanger, Bervian, Castro, Celani, Cervo, Cunha, Deese, Fenecon, Ferrara, Ferrari, Figueiredo, Fonseca, Fragata, Garcia, Gates, Liard, Litton, Luft, Macedo, Maddox, Maia, Manzo, Marson, Martins, Matczack, Meenes, Mira, Moises, Morgan, Nerici, Prado, Raymaeker, Raths, Reis, Salomon, Salvador, Spina, Steenberghen, Wlasek

 

No Quadro II repetiu-se ABNT e Salvador mesmo tendo sido listado apenas dois títulos(coluna Título da obra). Caso outros livros fossem classificados e estes nomes continuassem a se repetir, caberia verificar se realmente as referências reportam-se aos mesmos autores porque o pré-nome pode ser diferente. Por exemplo, será que o Salvador do primeiro título é o mesmo do segundo? Evidentemente, pode ocorrer também que a simples listagem dos títulos realce os autores que se destacam na área e, assim, é desnecessário fazer o levantamento do Quadro II.

Identificados os livros, a leitura deve ser realizada com objetivos determinados. Crie uma Ficha de Leitura onde possa escrever os dados bibliográficos da obra, um resumo dos principais pontos abordados na obra e frases que poderão ser literalmente citadas no estudo que você está desenvolvendo, seguidas do número da página.

Podendo iniciar os Pressupostos Teóricos, leve em consideração o seguinte:

1) procure fazer citações sempre fiéis ao original, entre aspas, seguidas entre parênteses do nome do autor, ano da publicação e o número da página ou, então, use números índices;

2) cuidado para não enfatizar frases menos importantes ignorando aquelas de maior efeito;

3) não faça uma revisão de literatura extensa ou com exageros de citação.

"Uma citação bibliográfica se justifica quando: a) se deseja reforçar uma opinião ou decisão, com o ponto de vista de uma autoridade na matéria; b)existe opinião coincidente, porém resultante de motivos distintos; c) a opinião que se sustenta é controvertida." (MORETTI FILHO, 1982, p. 12).

 

4) Não perca a continuidade do argumento que estava desenvolvendo.

5) Construa frases nas quais os autores que tecem considerações ou apresentam resultados passíveis de serem agrupados sejam citados conjuntamente.

6) Evite notas de rodapé, mas quando necessárias, procure construí-las o menor possível. Elas devem ser utilizadas somente para : a) Apresentar um texto estrangeiro no original porque aparece traduzido na monografia; b) Recomendar uma leitura importante e complementar.

7) Crie Fichas de Idéias ("insight") para registrar argumentos originais, complementações e contradições que não estão sendo úteis em uma determinada passagem da monografia, mas que poderão constituir uma contribuição significativa para outro capítulo ou outro texto a ser escrito futuramente.

Muitas vezes, o capítulo de pressupostos teóricos ou levantamento bibliográfico acaba sendo suficiente para servir como Introdução e não há necessidade de elaborá-la conforme está comentado no nono passo.

Volta ao início da página

 

Terceiro passo - Objetivos e hipóteses

O objetivo deve ser descrito com clareza. Ex: " Analisar .... para discutir(ou aprofundar)... com a finalidade de....". Há projetos que podem ter mais de um objetivo.

Formular hipóteses causais, correlacionais ou estatísticas a serem testadas é sempre um desafio que depende da área na qual está sendo desenvolvida a pesquisa. Trata-se de partir de algumas considerações a respeito do assunto que está sendo estudado para especular a respeito de possíveis resultados. Em estudos exploratórios, as hipóteses podem ser deixadas para uma etapa posterior ao levantamento de dados, informações, documentos, quando, então, melhor estará definido o campo de investigação. Casos extremos são o daqueles pesquisadores que partem para a pesquisa sem formular hipóteses por uma decisão deliberada. Geralmente, mais de uma hipótese é levantada em um projeto, podendo-se diferenciar uma hipótese geral e várias específicas.

Volta ao início da página

 

Quarto passo - Procedimentos da pesquisa - Método ou Método e Material

É o registro de todos os meios utilizados para obter dados da amostra ou população estudada (quem, quantos, onde). Tem que ficar claro se trata de uma ou mais pessoas, animais ou objetos e de como serão abordados: observação, entrevistas, cartas, fotos, recortes de jornais, análises estatísticas ou outras maneiras. Não se pode esquecer que há os aspectos quantitativos e os qualitativos; todos devendo obedecer a rígidos critérios científicos. É necessário situar o espaço (grupo, escola, cidade, município, estado, país ou outros) e o tempo (hora, dia, mês, ano, período ou outros). É preciso detalhar quem faz as observações ou entrevistas - o pesquisador, parte da equipe, alguém contratado; como são os sistemas de gravação - audiovisuais, sonoros, fotofilmes, microfichas, anotações; como serão aplicados os questionários - perguntas abertas ou questões fechadas, sessões individuais ou grupais, com roteiros preestabelecidos ou não. É importante explicar também como será o acesso ao material e onde está localizado, informando as condições em que será consultado.

Os conceitos, autores e textos teóricos relevantes para a pesquisa devem ser citados e a escolha deles deve ser justificada de acordo com o objetivo da pesquisa.

Em outras palavras, todo material, procedimento e pessoal envolvido na pesquisa deverão ser descritos detalhadamente não podendo ser esquecida a maneira como os dados serão coletados e como serão analisados.

Quando a pesquisa envolver seres humanos é importante garantir que eles ou seus responsáveis foram comunicados e que consentiram em sujeitar-se às condições impostas pelo pesquisador.

Volta ao início da página

 

Quinto passo - Procedimentos da análise dos dados

Colocam-se os dados obtidos em confronto com os pressupostos teóricos levantados enfatizando as idéias originais. Deve ficar bem especificada qual é a contribuição do pesquisador; que idéias de outros autores estão sendo utilizadas; com quem está se concordando e de quem está se discordando.

A forma de ordenar as idéias poderá significar a subdivisão da análise crítica dos dados em vários capítulos no Trabalho Científico.

O importante é que os títulos de capítulos e outros itens devem ser expressivos dando idéia do conteúdo que intitulam.

Volta ao início da página

 

Sexto passo - Conclusão

É preciso tomar cuidado para que a conclusão seja conseqüência dos capítulos anteriores. Com base em tudo o que foi discutido, é possível fazer afirmações favoráveis ou contrárias ao fenômeno ou fatos estudados. Por exemplo, se o estudo analisou o caso de uma pessoa, é hora de traçar a lição de vida que a pessoa nos deu e quais contribuições que se prestam para outros casos semelhantes ocorridos ou que possam ocorrer.

É na conclusão que caminhos e soluções são apontados ou sugeridos. São apresentadas as possibilidades de se lidar com aquilo que foi estudado a partir das novas considerações apresentadas. Deve ser demonstrado que as conclusões fazem parte de um panorama amplo, com conseqüências a serem exploradas tanto na área em que se desenvolveu o trabalho quanto em outras áreas.

Enfim, a conclusão é a contribuição do pesquisador para o avanço científico.

Volta ao início da página

 

Sétimo passo - Referências bibliográficas

No Projeto Científico, deve-se relacionar todas as obras referentes à pesquisa. Diferencia-se da lista de obras relacionadas no Trabalho Científico na qual somente devem constar os textos realmente lidos e citados, efetivamente utilizados, recebendo o título de Referências bibliográficas.

No Projeto e no Trabalho científicos, a relação das obras consultadas deve obedecer à Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT que, em Agosto de 1989 publicou a NBR-6023 e que foi atualizada em agosto de 2000. No entanto, há divergências entre os autores. Em 1990, a Universidade de São Paulo-USP lançou m texto com orientações baseadas na ABNT, contudo diferentes. Assim sendo, o recomendável é que o pesquisador tenha acesso às normas da comunidade científica e publicação para a qual dirige seu estudo. Abaixo, são reproduzidos alguns exemplos que caracterizam a norma geral e outros mais utilizados:

a) Livros

GUILLON, C.; BONNIEC, Y. Le. Suicídio : modo de usar. Trad. Maria Angela Villas. São Paulo: EMW,

     1984. 236 p. (Coleção Testemunho, 6).

b) Capítulos de livros

FREUD, S. Além do princípio do prazer. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas

     Completas de Sigmund Freud. Trad. Jayme Salomão et al. Rio de Janeiro: Imago, 1980. 24 v., v. XVIII,

     pp. 17-85.

________. Luto e melancolia. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de

      Sigmund Freud. Trad. Jayme Salomão et al. Rio de Janeiro: Imago, 1980. 24 v., v. XIV, pp. 275-291.

c) Artigos de periódicos

BECK, R. W.; MORRIS, J.; LESTER, D.  Suicide notes and the risk of future suicide.  Journal of the

     American Medical Association, n. 228, pp. 495-496, l974.

d) Publicações

REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA. Educação e alimentação do pré-escolar. São Paulo, v. 15, dez. 1981.      

     Suplemento.

e) Artigos de jornais

COELHO, M. Computadores são traiçoeiros como os gatos. Folha de S. Paulo.  São Paulo, 28 jul. 1993.  

      p. 4-4.

f) Dissertações e teses

GIORDANO, V. Subsídios para a profilaxia do suicídio através da educação.  Dissertação (Mestrado em

     Educação: Psicologia da Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1982, 123 p.

g) Páginas na Internet/WWW

SILVA, M. M.  Diretrizes para projeto e trabalho científicos. World Wide Web, http://www.avesso.net/metodo.htm, 

   10 set. 1999.

IMPORTANTE :

1. Verifique a pontuação. Obedeça onde é vírgula, dois pontos, ponto final, etc.

2. Verifique que somente a primeira letra do título da obra é maiúscula ou que se usa maiúsculas em palavras que assim o exijam nos textos.

3. Cite o nome até três autores. Mais de três, utilize o nome do primeiro seguido da expressão et al.

4. Citando mais de uma obra do mesmo autor, substitua o nome deste pelo traço.

5. Verifique que a segunda linha dos dados de cada obra tem início embaixo da terceira letra da primeira linha.

6. A utilização de itálicos deve receber especial atenção. Grafa-se em itálico: títulos de livros, monografias, periódicos(quando o artigo teve autor grafado em maiúsculas) e jornais e palavras estrangeiras em títulos de artigos.

7. A data que aparece nas páginas da Internet é a do dia em que se teve acesso à informação. Os meses são abreviados assim: jan., fev., mar., abr., maio, jun., jul., ago., set., out., nov. e dez.

Volta ao início da página

 

Oitavo passo - Anexos

Os recortes de jornais, as histórias de vidas ou estórias recolhidas, textos em geral, questionários, estatísticas, ilustrações e todo material que não foi reproduzido ou apresentado em capítulos anteriores, mas foram citados e analisados ou complementam o Projeto ou Trabalho científicos, devem constar como Anexo quando forem absolutamente necessários.

 

Nono passo - Introdução do Trabalho Científico

Quando o pesquisador sente necessidade - o capítulo de Pressupostos Teóricos/Levantamento bibliográfico não foi suficiente para servir de introdução - ele deve elaborar um capítulo com tal finalidade após a conclusão do trabalho. Só agora é possível descrever todas as dificuldades encontradas para a realização da pesquisa e como o caminho para atingir o objetivo final foi sendo traçado até tornar possível a conclusão. Palestras, estudos publicados, debates e outros acontecimentos dos quais o autor participou devem ser citados. Deve ser traçado um panorama geral a respeito da importância em se desenvolver o estudo e qual a intenção clara do autor com o desenvolvimento do tema.

Volta ao início da página

 

Décimo passo - Resumo do Trabalho Científico

O resumo do Trabalho Científico, mesmo que a instituição não exija em outros idiomas, é recomendável que seja escrito em português e inglês porque facilita o acesso a um grupo maior de pesquisadores.O resumo deve ocupar preferencialmente uma página e, no máximo, duas.

 

Décimo primeiro passo - Cronograma do Projeto Científico

Na fase do Projeto Científico, é preciso traçar um plano de ação considerando os objetivos, o tempo disponível para atingi-los, o orçamento e a disponibilidade das fontes bibliográficas e outras. Exemplo:

 

Cronograma  

1 9 9 9

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

Levantamento bibliográfico

X

X

 

 

 

 

 

 

Pressupostos teóricos 

 

X

X

 

 

 

 

 

Procedimentos da pesquisa

 

 

 

X

X

 

 

 

Procedimentos da Análise

 

 

 

 

X

X

 

 

Conclusão

 

 

 

 

 

 

X

 

Revisão, digitação, capa

 

 

 

 

 

 

 

X

 

 

 

Volta 

 

 

 

 

 

 

Décimo segundo passo - Orçamento

O Projeto Científico deve ser acompanhado de um orçamento sempre que for dirigido a uma entidade com a finalidade de conseguir bolsa de estudo.

Justifica-se os gastos com auxiliares, complementação salarial para a equipe de pesquisadores, mensalidades com cursos, gastos com xerox e materiais diversos, compra de livros.

Todo relato deve ser bem específico, citando-se valores nominais para cada item e informando dados necessários como, por exemplo, salário atual de cada membro da equipe.

 

Décimo terceiro passo - Apresentação

A apresentação do Projeto ou Trabalho científicos deve ser a melhor possível e obedecer as exigências da comunidade científica na qual se desenvolve, será apresentado ou publicado, além de atender exigências da entidade que fornecerá bolsa de estudo. Normalmente, exige-se capa, página de rosto, resumo, sumário(índice) e numeração de páginas, ficando a critério do autor se quer incluir dedicatória e agradecimentos.

O recomendável é que o pesquisador conheça vários textos já apresentados na comunidade científica na qual está inserido e também peça orientações específicas ao seu orientador quanto à apresentação geral de quadros, figuras, títulos e subtítulos, quando não houver exigências formalizadas pela instituição.

Dedicatória e agradecimentos devem ser breves.

Tabelas e Quadros devem ser numerados consecutivamente com algarismos romanos, preocupando-se que suas apresentações não prejudiquem a continuidade da leitura, localizando-os tão próximos quanto possíveis dos locais em que são mencionados e comentados. Trace o mínimo de linhas verticais e tente se limitar a três linhas horizontais.

As figuras recebem números arábicos consecutivos.

Volta ao início da página

 

Décimo quarto passo - Sumário

O Sumário deve ser organizado depois que todo o trabalho estiver digitado ou datilografado. O Índice propriamente dito é o Índice Remissivo (SEVERINO, 1996) ou Índice Analítico que, infelizmente, não são organizados na maioria dos Trabalhos Científicos publicados atualmente. O Índice Remissivo, apresentado nas últimas páginas do Trabalho Científico, designa uma relação em ordem alfabética de assuntos, termos técnicos e autores, indicando em que páginas podem ser localizados no texto. O Índice Analítico esclarece, resumidamente, os pontos mais importantes do livro, indicando as páginas onde se encontram.

O Índice comumente encontrado em muitos Trabalhos Científicos é, na verdade, o Sumário ou Conteúdo. Este termo designa a enumeração dos principais títulos, capítulos e subtítulos do texto seguidos da respectiva paginação e deve ser colocado antes da Introdução e depois da página de rosto, dedicatória e agradecimentos. Não deve relacionar as folhas que o precedem, mas deve incluir todas que o sucedem.

 

CONCLUSÃO

Apresentados desta forma, passo a passo, tanto o Projeto Científico quanto o Trabalho Científico estão sistematizados para quem inicia a atividade de pesquisa. A disposição de capítulos apresentada não é a única. Uma disposição diferente para Projeto poderia, por exemplo, obedecer à seguinte seqüência: resumo, introdução, justificativa, objetivos, plano de trabalho, cronograma, material e métodos, análise dos resultados e referências bibliográficas.

Quem se enveredar pelo caminho das Ciências perceberá em pouco tempo que, na realidade, o Projeto Científico por si só já é um Trabalho Científico que, quando bem elaborado, leva a grandes descobertas, contribuindo tanto para sua área específica de conhecimento quanto para outras áreas, podendo até mesmo ser a semente do corpo de uma nova Ciência.

Volta ao início da página

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023 :referências  bibliográficas. Rio de Janeiro, 1989,18 

    p.
 

ECO, U. Como se faz uma tese. São Paulo : Perspectiva, 1983. 184 p.

MORETTI FILHO, J. Redação de dissertações e teses. Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz –

      FEALQ, Piracicaba, 1982, 67 p.

 
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Normas para publicações da UNESP.  São Paulo, 1994, 4

      volumes.
 

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 20 ed. São Paulo : Cortez, 1996. 272 p.

TRINDADE, Eduardo. Teses, dissertações e monografias - roteiro para sua elaboração. 2ª. Ed. Rio de

     Janeiro : JUERP, 1995. 118 p.

 
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Grupo de Estudos de referências Bibliográficas. – Referências

     bibliográficas: exemplos. São Paulo, 1990, 17 p.

© Todos os direitos reservados 1998.


 

  Volta ao início da página